TerraEsportesMundial 2002
  Mundial 2002 em: Argentina | Brasil | Costa Rica | Espanha | EUA | México | Uruguai
 Ligado no Mundial
Tudo o que você encontra na cobertura especial do Terra
Brasil iguala marca histórica e garante 1º lugar
 

Quinta, 13 de junho de 2002, 05h21

Fábio Takahashi

São Paulo - A Seleção encerrou a primeira fase com sua melhor apresentação até agora no Mundial. A Costa Rica chegou a criar perigo, mas levou 5 a 2 nesta quinta-feira, em Suwon, na Coréia do Sul. Desde a final da Copa da Suécia em 1958, quando bateu o time da casa também por 5 a 2, o Brasil não fazia cinco em um jogo.

Mas a Seleção do técnico Luiz Felipe Scolari já quebrou um recorde. Ao marcar 11 gols na primeira fase, ela bateu a melhor marca brasileira que vinha da Copa de 82, com o treinador Telê Santana.

Com o resultado, a equipe do técnico Luiz Felipe Scolari terminou a fase de classificação na primeira posição do grupo C - e com o melhor ataque, com 11 gols, ao lado da Alemanha - e vai enfrentar o segundo colocado do grupo H, que conta com Japão, Bélgica, Rússia e Tunísia. O adversário será definido nesta sexta.

Já a Turquia, com a vitória por 3 a 0 em cima da China, também passou de fase e pega o primeiro do H.

Independentemente do rival, a Seleção volta a atuar na segunda-feira, pelas oitavas-de-final, às 8h30 da manhã (horário de Brasília), em Kobe, no Japão.

O atacante Ronaldo marcou um e tem chance de 'ganhar' outro. No primeiro, foi o zagueiro costa-riquenho Marin quem colocou para dentro, mas o árbitro Gammal Ghandour, do Egito, pode validar para o brasileiro. Se isso acontecer, ele chega aos quatro - um a menos que o artilheiro Klose, da Alemanha. A Fifa decide o caso nesta sexta.

Roque Júnior, Ronaldinho e Roberto Carlos foram poupados. Os dois primeiros por terem um cartão amarelo, e o segundo por sentir dores na panturrilha. Entraram Edmílson, Edílson e Júnior.

O JOGO

O Brasil fez um belo primeiro tempo. Os reservas entraram bem, principalmente o lateral Júnior. Edílson se movimentou e apareceu nos dois lados do campo.

Outro destaque foi Ronaldo. Ele mostrou boa presença na área e ainda armou jogadas para Rivaldo, que teve um fraco desempenho.

A defesa foi o único setor que mostrou fraqueza. As bolas aéreas causaram problemas. Inseguro com seus companheiros, o goleiro Marcos começou atropelar até os zagueiros na saída de bola.

Apesar disso, nem deu tempo para passar sufoco. Logo aos 9min, Edílson arrancou pela esquerda, se livrou de Wallace e cruzou. Ronaldo apareceu na pequena área, mas foi Marin quem colocou contra o próprio gol.

Três minutos depois, Rivaldo bateu escanteio, Ronaldo dominou no meio de três defensores. Ele se livrou e chutou para as redes, ampliando o placar.

O Brasil seguiu melhor e marcou outro aos 32min. Júnior cruzou da esquerda, Edmílson deu uma bicicleta e fez um golaço. A resposta aconteceu aos 39min. Wright e Wanchope tabelam na área do Brasil. Lúcio e Edmílson se atrapalharam e Wanchope marcou.

No começo da etapa final, a Seleção parecia outro time. A Costa Rica pressionou e conferiu aos 10min. Brice ganhou de Polga e cruzou. Cafu vacilou e Gomez desviou de cabeça.

Felipão tirou o atacante Edílson e o meia Juninho - que estavam bem - e colocou o volante Kleberson e o meia Ricardinho.

O time voltou a ter boa atuação e marcou o quarto aos 16min. Júnior cruzou da esquerda, Rivaldo se antecipou à marcação e marcou.

Com mais tranqüilidade, o quinto gol apareceu. Ricardinho lançou Júnior, que invadiu a área pela esquerda e mandou para as redes.

Antes do fim, o meia Kaká ganhou a chance de estrear no Mundial. Ele entrou na vaga de Rivaldo, mas prendeu muito a bola e teve má atuação.
 

Redação Terra
Mais Notícias
Felipão deve seguir no comando da Seleção?
Sim, só com ele trazemos o hexa
Não, o Brasil ganhou, mas não jogou bonito




 
 » Conheça o Terra em outros países Resolução mínima de 800x600 © Copyright 2004,Terra Networks, S.A Proibida sua reprodução total ou parcial
  Anuncie  | Assine | Central de Assinate | Clube Terra | Fale com o Terra | Aviso Legal | Política de Privacidade